domingo, 18 de setembro de 2011

CORRUPÇÃO E CONTROLE DA INTERNET - I

Ol@! Acompanhe-nos nesta aventura em batalha virtual da Conscientização contra a Indiferença, e comprove como a jovem Anonymous está correta em seus aconselhamentos pela mobilização da sociedade. Vejam notícias selecionadas sobre corrupção, a indiferença do sistema judiciário, e a tentativa de terem acesso irrestrito ao conteúdo de e-mails, identificando inclusive nossos contatos.
Na teoria da conspiração foi previsto que, além do colapso financeiro, o sucesso da Nova Ordem Mundial patrocinada pela minoria bilionária controladora da mídia e financiadora de guerras, repousa no fato de que governos dos países sejam incapazes de removerem a corrupção de suas estruturas, justificando assim a implantação da NOM. Por alguns instantes ficamos esperançosos com esta limpeza amplamente divulgada:

Mas os honestos sofrem derrota neste outro caso. Em votação secreta, o plenário da Câmara dos Deputados absolveu nesta terça-feira (30/08/2011), por 265 votos a 166 e 20 abstenções, a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF) do processo que pedia cassação de seu mandato.
Filha de Roriz recebe propina
Os parlamentares rejeitaram relatório do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que pedia a perda de mandato de Jaqueline, após a revelação de um vídeo em que ela aparece recebendo dinheiro do delator do mensalão do DEM, Durval Barbosa. A gravação foi feita em 2006, mas foi divulgada no início deste ano.
O advogado da Deputada Federal, José Eduardo Alckmin, utilizou-se do argumento: “Fato praticado fora do exercício do mandato parlamentar não tem o poder de configurar ato atentatório à ética e ao decoro parlamentar”.
 José E. Alckmin,
Para Alckmin, se aprovada a cassação, haveria “um campo aberto para perseguições políticas”. (Na realidade, estaria aberto o caminho da limpeza na política)
Acontece que “Isso vem ocorrendo há muito tempo. Também não se poderia esperar mais do que isso, de um Parlamento onde quase 40% dos seus integrantes respondem processos judiciais ou administrativos, relacionados a atos ímprobos ou mesmo crimes, contra a administração pública, e, indiretamente, contra a população brasileira.
O honesto não traz uma estrela na testa, mas traz o seu passado como referência. A personalidade do cidadão não muda e com isso é possível descobrir quem é quem na história da vida. O corrupto, desonesto, preguiçoso, criminoso, estelionatário de papeis, bens ou consciências, jamais vai ser honesto na vida pública."

O resultado prático desta situação acima, entre tantos outros, são as merendas em algumas escolas públicas, quando aparece na mesa: 
 
Apesar da “Lei da Ficha Limpa ter sido aprovada no ano passado pelo Parlamento, foi uma enganação de muitos parlamentares, para ficar “de bem com a população” e conseguir a reeleição.”.

A permanência dessa estrutura torna-se estratégica para ingerências externas. Em conseqüência, leis são elaboradas podendo comprometer irremediavelmente a preservação ambiental, como o Novo Código Florestal:
Governo cria Gabinete de Crise para combater o desmatamento na Amazônia
O resultado final pretendido pelos patrocinadores da NOM, se revela neste vídeo ArkhosBiotech-legendado, com a lembrança de que a Amazônia não pertence a nenhum país, confira.
video
Como tentáculos envolvente de um polvo, surge este outro fator externo: 
O presidente Evo Morales está ajudando empresas estrangeiras a repartirem a Amazônia – cortando árvores, explorando minérios e desenvolvendo a agricultura em grande escala no fértil solo da Amazônia. Morales está a ponto de aprovar a construção de uma estrada enorme que iria alimentar ainda mais esse ataque à floresta mais importante do mundo, mesmo tendo que violar suas próprias leis para fazer isso acontecer. Mas agora que as últimas permissões estão sendo avaliadas, as vozes dos cidadãos estão pedindo que o governo busque rotas alternativas para a estrada – e Morales está começando a sentir a pressão. (Participe da campanha no link abaixo)
Nesta notícia de 16/09/2011 Morales promete consulta a indígenas sobre estrada polêmica. Mas segundo Delgadillo, Ministro de Obras Públicas da Bolívia: o objetivo da visita de Morales não era buscar compromissos imediatos com os indígenas, e sim “iniciar um grande processo de consulta para estabelecer soluções”.
O movimento é contra a construção da rodovia de 306 quilômetros ligando a região amazônica de Beni a Cochabamba – uma obra de 420 milhões de dólares, a ser financiada principalmente pelo Brasil -, além de exigirem a paralisação de projetos petrolíferos nas áreas protegidas, entre outras reivindicações.”
Estudiosos percebem algo mais na corrupção através deste trabalho intitulado REFORMA DO ESTADO E CONTROLE DA CORRUPÇÃO NO BRASIL, onde extraímos estes parágrafos:
A corrupção, para JOHNSTON (2002), não é algo que acontece em uma sociedade como um desastre natural. Para esse autor, trata-se da atividade de pessoas e grupos reais que traficam influências em um dado ambiente de oportunidades, de recursos e de limitações. Essas ações e escolhas costumam, muitas vezes, provocar estragos em governos e regimes inteiros, mas quase sempre afetam a política de maneira mais específica, refletindo a natureza e a continuidade do desenvolvimento das sociedades em que ocorrem.
A corrupção alastrada é um sintoma e não a doença em si (ROSE-ACKERMAN, 1978). É perceptível que a corrupção pode produzir ineficiência e injustiça, cujos efeitos produzem reflexos negativos sobre a legitimidade política do Estado. A corrupção indica a existência de problemas mais profundos nas relações do Estado com o setor privado.
Entendemos que a solução não está na reforma do Estado, mas na integridade dos políticos. Consegue-se mobilizar no Brasil, manifestações populares com passeatas a favor dos Gays, Lésbicas, do uso da maconha, de evangélicos, etc, mas não contra a corrupção, enquanto na Rússia temos este exemplo de consciência e mobilização da juventude:
Jovens ativistas favoráveis ao governo da organização Nashi realizaram uma manifestação contra corrupção em Moscou, capital da Rússia. Os organizadores estimam que mais de 50 mil pessoas participaram do protesto. (16/04/2011)
Essa apatia do povo brasileiro favorece a que aconteça decisão dessa natureza:
STJ anula investigação da PF contra a família Sarney – 17/09/2011
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) anulou todas as provas obtidas pela operação da Polícia Federal que investigou os negócios do empresário Fernando Sarney e outros familiares do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), informa reportagem de Andreza Matais e Felipe Coutinho, publicada na Folha deste sábado (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
Em decisão unânime, os ministros do tribunal entenderam que os grampos que originaram as quebras de sigilo foram ilegais. A decisão devolve as investigações à estaca zero.
‘Quem indica é a presidente’, diz Sarney sobre novo ministro.
Sarney usa helicóptero do Maranhão em viagem particular.
No ano passado, a Justiça já havia invalidado parte das provas obtidas por interceptação de e-mails na operação da Polícia Federal, chamada de Boi Barrica e mais tarde rebatizada de Faktor.
Em decisões semelhantes, o STJ também anulou provas obtidas pela PF ao investigar os negócios da construtora Camargo Corrêa e do banqueiro Daniel Dantas, do grupo Opportunity.
A investigação da Operação Faktor começou em fevereiro de 2007, devido à movimentação atípica de R$ 2 milhões na conta de Fernando Sarney e de sua mulher, Teresa Murad Sarney.
A apuração se estendeu até agosto de 2008 e apontou crimes de tráfico de influência em órgãos do governo federal, formação de quadrilha, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro. Fernando nega as acusações.
Leia mais na edição da Folha deste sábado, que já está nas bancas. Texto completo neste endereço:
A notícia causa-nos profundo pesar, e de pesar em pesar o justiceiro desinformado verá na Nova Ordem Mundial, quando anunciada pelo governo, a única esperança para que a corrupção seja eliminada, e então estaríamos definitivamente nas mãos da elite globalizante.
Dez famílias controlam e são os braços do capital internacional e globalizante que dominam a dita inteligência nacional e que formam a opinião do povo brasileiro.
No Brasil são seis as redes nacionais de televisão, Globo, SBT, Record, Bandeirantes, Rede TV e CNT, que controlam 667 veículos do país: 309 canais de televisão, 308 canais de rádio e 50 jornais diários. Às redes de televisão, somam-se outros quatro grandes grupos de mídia, Abril, Folha, RBS e O Estado. Essas dez empresas juntas controlam virtualmente tudo o que se vê, se escuta e se lê no país. São elas, portanto, as maiores responsáveis pelas mazelas sociais e culturais por que passa o nosso país a mais de meio século.
http://kynoma.blogspot.com/2010_02_01_archive.html
O que fica de fora deste controle? Os blogueiros independentes e livres no pensar, através dessa escassa liberdade, vamos atrás das atribuições do STJ:
O STJ julga crimes comuns praticados por governadores dos estados e do Distrito Federal, crimes comuns e de responsabilidade de desembargadores dos tribunais de justiça e de conselheiros dos tribunais de contas estaduais, dos membros dos tribunais regionais federais, eleitorais e do Trabalho. http://www.stj.jus.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.area=293
Além disso, concentra esforços na otimização dos processos de trabalho e na gestão da qualidade, como práticas voltadas à melhoria da performance institucional e conseqüente satisfação da sociedade. http://www.stj.jus.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.area=963
Os Ministros da Justiça são nomeados pelo Presidente da República, após serem ouvidos em sabatina pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, e posteriormente aprovados em votação no Plenário. http://www.conjur.com.br/2011-ago-15/presidente-dilma-rousseff-nomeia-dois-novos-ministros-stj
Pelo exposto, como cidadão Brasileiro, ficamos profundamente preocupados, os valores foram claramente invertidos, percebemos uma sociedade sem rumo amparada por um sistema judiciário perdido. E se o Presidente da República não tiver capacidade de avaliar um candidato a Ministro do STJ e não souber reconhecer o valor e a importância das Forças Armadas e Polícia Federal?
Quem fiscalizaria a atuação dos magistrados escolhidos de maneira tão precária?
Um amigo, que faz parte da banda boa a serviço de “César”, clareia nossas reflexões e trás resposta com esta notícia 15/08/2011: (Continua na Parte II)


Nenhum comentário:

Postar um comentário